Empreendedorismo feminino: As mulheres no mundo dos negócios

Empreendedorismo

De alguns anos para cá, as mulheres tem aumentado a sua participação no mundo dos negócios, o empreendedorismo feminino estabelece novos relacionamentos, gera renda e transforma vidas.

De acordo com as estatísticas, 45% das empresas MEI que abriram nos últimos anos, são de mulheres. A medida que elas crescem financeiramente, também contribuem para e educação dos filhos e o desenvolvimento do País como um todo, já que também consomem mais e geram empregos.

O caminho do empreendedorismo feminino ainda é cheio de desafios, mas aos poucos, as barreiras vão sendo vencidas.

 

Quais os setores preferidos do empreendedorismo feminino?

Elas ainda representam as pequenas empresas, algumas, já conseguem participar de grandes negócios em empresas de porte maior. Todavia, esses índices tendem a mudar conforme elas ganham mais confiança.

Os principais setores são:

  • Alimentação – Abertura de lanchonetes, cafés, confeitarias, entrega de refeições;
  • Beleza– Salão de beleza (cabelos, unhas, depilação), estética facial e corporal;
  • Confecções – Costura, loja de roupa, venda de roupas porta a porta;
  • Vendas de cosméticos e produtos de casa;

A mulher empreendedora ocupa 77% do mercado de salões de beleza e aproximadamente, 75% do setor de vestuário.

Nas outras áreas, como alimentação a participação feminina é de 45%. No entanto, esses números estão mudando constantemente devido a grande capacidade de inovar da mulher.

 

Como ser uma mulher empreendedora?

Muitos fatores levam as mulheres a empreender, obviamente que a motivação financeira ocupa o topo da lista, entretanto, a busca pela satisfação pessoal é também muito importante para o público feminino.

A vontade de fazer a diferença na própria vida e de outras pessoas também são motivos apontados por elas.

Mas, o que é preciso ter para ser uma mulher que se encaixe nesse perfil empreendedor? Confira:

  • Vontade de inovar e criar novos mecanismos de trabalho;
  • Coragem, criatividade e acima de tudo, força para trabalhar duro;
  • Sensibilidade, intuição e cooperação;
  • Gostar de estudar e investir na sua própria capacitação;
  • Ser atenciosa com o cliente;
  • Saber conciliar a vida profissional com a pessoal;

Em uma pesquisa publicada na ” Revista Exame”, o empreendedorismo feminino se destaca nos seguintes quesitos.

As mulheres empreendedoras são mais jovens do que os homens empreendedores (50% contra 40%), além disso, são mais escolarizadas (55% contra 38,5%).

 

Como começar?

Colocar a ideia em prática pode ser um pouco trabalhoso, mas nada que um bom planejamento não possa ajudar.

Os primeiros passos do empreendedorismo feminino envolvem:

1º – Reunir o capital necessário para abertura da empresa;

2º – Descobrir o que realmente quer e sabe fazer;

3º- Detalhar os objetivos de forma estratégica, afim de saber qual será o passo a passo para a abertura do negócio;

4º – Colocar em prática;

O SEBRAE pode ajudar, eles fornecem palestras para os empreendedores em todo o Brasil, além disso, orientam individualmente cada pessoa à partir de sua ideia de negócio.

Quanto mais informação uma pessoa tem à respeito de uma área de atuação, melhor são as chances de obter sucesso no projeto.

Os desafios existem, mas é preciso encarar. Para mulheres que ainda não tem coragem de colocar em prática, sessões de coaching podem ajudar a definir metas, desenvolver as competências, identificar os bloqueios e aumentar a performance.

O empreendedorismo feminino está conquistando o seu espaço e está se tornando uma das principais pautas de reuniões de negócios em diferentes setores da indústria, comércio e prestação de serviços.

Existem diversas histórias para se inspirar, mas que tal você escrever a sua?

Se necessário, busque ajuda do SEBRAE, Coaching e uma Assessoria Contábil para começar o seu negócio de sucesso. O importante é não procrastinar mais